Home / Informações / Consolidação de créditos: três motivos para a fazer

Hoje em dia muitas famílias e pessoas a título individual lutam para conseguirem pagar os seus empréstimos e cada vez mais se complica essa tarefa. A situação nacional e a falta de um Governo eficiente é a (mais que) dura realidade portuguesa e nada indica que o momento vivido actualmente sofra alterações a curto prazo. Por isso, encontrar estratégias para ultrapassar as dificuldades correntes é mesmo a única solução para evitar o endividamento… e a consolidação de créditos pode ser uma resposta adequada nesse preciso sentido.

À semelhança do que acontece em qualquer circunstância da vida, existem naturalmente vantagens e desvantagens inerentes à reestruturação dos financiamentos contraídos, pelo que este pode não ser o caminho ideal para qualquer consumidor. Por um lado é uma via limitada a bons pagadores e por outro não admite falhas depois de aceites as condições, o que desde logo afasta uma parte considerável dos candidatos, pois é no rigor e respeito pelas condições assumidas no contrato de consolidação de créditos que está a chave para o sucesso deste método alternativo de liquidar as dívidas pendentes.

Esclarecida a não abrangência total desta solução complementar para assegurar o cumprimento dos acordos financeiros na base das suas prestações, avançamos então para a referência de três motivos para que recorra à consolidação de créditos:

1. Dá-lhe a ocasião de baixar as taxas de juro cobradas e com isso ganhar condições para economizar algumas dezenas (ou até centenas) de euros todos os meses, o que lhe permitirá ir criando um fundo de emergência para que esteja precavido na eventualidade de se ver forçado a enfrentar dificuldades no futuro. Esta é uma importante “almofada” de segurança que evitará situações de incumprimento vindouras e por isso deve começar a ser garantida a partir do momento em que o refinanciamento é assinado;

2. Oferece a oportunidade de poder acautelar o seu património monetário, já que facilita o aforro, abrindo assim caminho para a possibilidade de avançar com investimentos em diversas aplicações, desde as mais comuns formas de poupança à perspicaz aposta nos mercados bolsistas e forex, passando pelo apoio directo à formação de novas empresas e negócios em troca de mais-valias como acções ou quotas. É na existência de múltiplas fontes de rendimento que residem as melhores hipóteses de bons níveis de retorno;

3.
Permite aumentar o prazo de reembolso do empréstimo, pois esta é a estratégia mais utilizada para atenuar os encargos associados aos créditos. Contudo, nem sempre é oferecido um alargamento do período de duração dos contratos, sendo muitas vezes necessário que o consumidor tome a iniciativa e sugira ao credor esse prolongamento. Logo, esteja bem atento e se não lhe for apresentada essa opção mencione-a você. Além de não perder o que fora adquirido é provável que receba uma contra-proposta com esse parâmetro considerado.

 

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *